ECONOMIA SEMPRE PERTO DE VOCÊ!

ECONOMIA SEMPRE PERTO DE VOCÊ!

CONSTRUIR OU REFORMAR? ESSE É O LUGAR...

CONSTRUIR OU REFORMAR? ESSE É O LUGAR...







quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Igrejas de bairros rurais sofrem com o abandono e a história se perde no tempo

 

A Igrejinha Santo Antônio não existe mais

“Quando fiz a última curva, a expectativa era chegar ao final dela e avistar a igreja do bairro Igrejinha Santo Antônio. Aquela estrutura rústica de madeira, com arquitetura de décadas atrás, com as paredes descascadas, revelando as inúmeras pinturas e reformar realizadas no templo”, descreve o repórter, Herithon Paulista.

A reportagem do Canal HP, após receber questionamentos de internautas, foi até o tradicional espaço, onde guardam histórias de diversas famílias são-joanenses. O fato é que muitas pessoas defendem que a igreja e as demais edificações, não deveriam ser demolidas.




O repórter Herithon Paulista visitou a igrejinha várias vezes nos últimos anos, e pôde acompanhar a deterioração com o tempo. Ela permaneceu em estado de abandono por algum tempo, e as ações de vândalos piorou ainda mais a situação. Utensílios e outros pertences da igreja, as tábuas da parede do templo e a fiação elétrica foram levados.

Com o êxodo rural, a região da Igrejinha Santo Antônio perdeu bastante habitantes, que preferiram se transferir para a cidade, onde há mais recursos e segurança. Com a redução populacional progressiva, houve o tempo em que o padre celebrou a missa com a presença de dois ou três fiéis.

Acabou a comunidade, as tradicionais festas também acabaram, e o lugar foi sendo deixado, sem os fiéis para manter a equipe de liturgia e auxiliar com cânticos. Sem os fiéis para fazer aquele mutirão de melhorar a estrutura da Igrejinha Santo Antônio.  

Quantas missas, batizados e casamentos foram realizados naquela igrejinha, que hoje ficará apenas nas lembranças. A reportagem fez contato com a paróquia São João Batista, requerendo alguma nota sobre o tema, caso fosse de interesse. Recebemos informação extraoficial que a igrejinha estava com a estrutura condenada e que o templo não estava sendo mais utilizado para celebrações.

O assunto acaba dividindo opiniões. Porém, levanta uma questão importante, quando paramos para olhar as oportunidades que cada situação nos revela. Claro que ver uma igrejinha sumir dói na alma de quem fez história por lá.

Herithon Paulista procurou o vereador Maicon Rossi, e sugeriu que seja apresentada um projeto de lei para proteção de prédios antigos, para preservação de acervo cultural e histórico. Esta lei possibilitaria o tombamento de alguns prédios como patrimônio público, sendo incluída a legalidade de subvenção do poder público para restaurações e reformas nos mesmos.

Esta lei ainda deslumbra a reestruturação das comunidades rurais, para que sejam recriadas as festas dos padroeiros nas comunidades onde ainda conservam templos. Com isso, a comunidade voltaria ter caixa para manutenção da igreja e a população são-joanense passaria a ter um circuito de festas de bairros rurais, aumentando a convivência e entretenimento entre todas as idades.

Com essa lei, é possível garantir oportunidades para o turismo religioso, de lazer e cultural. “Discuti esse projeto junto com o Maicon, e estaremos redigindo seu conteúdo, para que possamos preservar aquilo de histórico que ainda temos. Não deixando o progresso engolir o passado da população”, destaca Paulista.

O vereador Maicon Rossi vem acrescentando novas ideias a esse projeto, acreditando que será muito importante para desenvolver o município em muitos aspectos. “Precisamos determinar a idade do prédio para tombamento e analisar toda a legalidade jurídica para que o poder público possa sancionar a lei e conseguir criar um calendário turístico e cultural mais rico”, enfatiza Rossi.

Se houver lei para preservação e incentivo, é possível garantir que a história fique em pé. Veja a situação de abandono que está a igreja da Costa Rica. Chega doer o coração. O tempo está acabando com toda a estrutura e pode ser o próximo prédio a ser derrubado, caso não exista a lei e a população não faça um mutirão para melhorias.

Igrejinha da Costa Rica


O Cruz em frente ao templo é datado em 1981. São 40 anos ou mais de histórias acumuladas. Às igrejinhas da Jabuticaba, Água Rica, Beija-Flor e Água da Glória, ainda estão de pé. Até quando? Outras poucas capelas resistem ao tempo e à perseverança da comunidade.

Imagina todos esses locais sendo atrativos para um passeio religioso, um circuito de bikes, festas comunitárias, caminhadas, enfim, são muitas possibilidades que temos quando preservamos a história.









 

SÃO JOÃO DO IVAÍ

SÃO JOÃO DO IVAÍ

SÃO PEDRO DO IVAÍ

SÃO PEDRO DO IVAÍ

LUNARDELLI

LUNARDELLI