ECONOMIA SEMPRE PERTO DE VOCÊ!

ECONOMIA SEMPRE PERTO DE VOCÊ!

CONSTRUIR OU REFORMAR? ESSE É O LUGAR...

CONSTRUIR OU REFORMAR? ESSE É O LUGAR...










terça-feira, 19 de abril de 2022

Paraná declara situação de epidemia de dengue após aumento de casos

 


O Paraná entrou em estado de epidemia de dengue nesta terça-feira (19). Com o aumento de casos, a situação foi declarada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

De agosto de 2021, quando teve início o atual ciclo epidemiológico, até esta terça, o boletim da Sesa contabilizou 80 mil notificações da doença – 14.964 a mais em relação à semana anterior – e cinco mortes no estado.


O boletim informa ainda que 365 municípios têm casos notificados, sendo que 287 tiveram confirmação de casos. Em uma semana, foi registrado o aumento de 39,86% nos casos confirmados, passando de 16.560 para 23.161.

“Entramos em epidemia de dengue. Em cada boletim semanal os números apontavam para este desfecho. Apesar do nosso constante monitoramento, por parte da Vigilância Ambiental, os números aumentaram e agora precisamos reverter a situação. Tivemos óbitos e não queremos que os casos aumentem. Já tivemos um trabalho efetivo de combate à doença no passado recente, com apoio da sociedade, e convocamos a população novamente para este enfrentamento”, diz o secretário de Estado da Saúde, César Neves

O governo aponta que o número de casos prováveis e de confirmados estão acima do esperado para o período, o que configura um cenário epidêmico.

As Macrorregiões Oeste e Norte concentram maior o maior número de casos confirmados. Francisco Beltrão, Medianeira, Arapongas, Cascavel, Salto do Lontra, Ampére, Catanduvas, Iracema do Oeste e Realeza foram os municípios com maior número de casos confirmados nas últimas seis semanas.

Entre 2019 e 2020, o Paraná enfrentou uma das piores epidemias de dengue da história, desde que começou a ser monitorada, em 1991. Nesse período foram registrados 227.724 casos confirmados da doença, com 177 mortes. Até então, o pior período havia sido entre 2015 e 2016, com pouco mais de 56 mil casos e 61 mortes.



“Nossas equipes já estão a campo nas regiões onde prevalece o maior número de casos, orientando a população. Estamos promovendo tutoriais para os médicos para esse enfrentamento para que haja o diagnóstico assertivo. Precisamos reavivar os métodos de combate da dengue. Aquele vaso de água, de entulho, na cisterna de captação de água, entulhos devem ser evitados, pois o criador do mosquito pode estar lá”, afirma o secretário de Saúde

O mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, é causador também de outras doenças chamadas de arboviroses, caso da zika e chikungunya. De acordo com o boletim semanal, houve 210 notificações de chikungunya, com 12 casos foram confirmados.

CLIQUE AQUI PARA ENTRAR NO GRUPO DE WHATSAPP DO CANAL HP

SÃO JOÃO DO IVAÍ

SÃO JOÃO DO IVAÍ

SÃO PEDRO DO IVAÍ

SÃO PEDRO DO IVAÍ

GODOY MOREIRA

GODOY MOREIRA

LUNARDELLI

LUNARDELLI