ECONOMIA SEMPRE PERTO DE VOCÊ!

ECONOMIA SEMPRE PERTO DE VOCÊ!

CONSTRUIR OU REFORMAR? ESSE É O LUGAR...

CONSTRUIR OU REFORMAR? ESSE É O LUGAR...










sábado, 30 de julho de 2022

Caso de violência doméstica e lesão corporal em Jardim Alegre

 


A Equipe da PM foi acionado via COPOM por volta das 21h dessa sexta-feira (29) para atendimento de uma situação de violência doméstica no Bairro Pachuski na cidade de Jardim Alegre, onde segundo a solicitante, estava acontecendo uma situação de lesão corporal. Segundo o boletim da polícia, ao chegar ao local, a solicitante (em visível estado de embriaguez) informou à PM que estava aguardando na casa de sua irmã, porque seu marido chegou da rua embriagado, e que após entrarem em discussão, o mesmo ficou totalmente agressivo dentro da residência e jogou sua TV no chão, vindo a quebrá-la.

Em seguida,  desferiu um tapa em seu rosto e vários socos por seu corpo, se evadindo da residência posteriormente. A vítima, estando com medo de ficar em casa, foi até a casa de sua irmã para pedir ajuda e se proteger. Não foi constatado pela equipe lesões na vítima, sendo que a mesma se encontrava muito embriagada, com a fala desconexa e com muita dificuldade de equilíbrio. Questionado a irmã da vítima a respeito dos fatos, afirmou para a equipe que a briga entre o casal é rotineiro, e que a mesma faz o uso de remédios controlados, porém vive ingerindo bebidas alcoólicas, o que acaba atrapalhando o tratamento. Afirmou ainda que nesta noite a vítima ficaria sob os seus cuidados em sua residência. Ato contínuo, equipe deslocou até a Rua Projetada A (residência do casal), onde em conversa com os vizinhos, passaram a relatar que as brigas entre o casal são constantes, e que na data da ocorrência, os dois fizeram a ingestão de bebida alcoólica, onde ambos se encontravam com os ânimos exaltados, informando ainda que o autor não se encontrava mais no local, visto que o mesmo se evadiu logo após a vítima sair de casa.

Após os envolvidos serem orientados quanto aos procedimentos pertinentes ao fato e diante da manifestação da vítima no sentido de que não deseja representar criminalmente em face de seu marido, a equipe a orientou quanto ao prazo de 06 meses para representação, bem como acerca da necessidade de comparecimento na Delegacia de Polícia para solicitação de medidas protetivas de urgência, caso necessite a Srª, sendo então liberados no local e assim confeccionado o presente BO e encaminhado até a 54ª DRP de Ivaiporã para providências cabíveis.

CLIQUE AQUI PARA ENTRAR NO GRUPO DE WHATSAPP DO CANAL HP

SÃO JOÃO DO IVAÍ

SÃO JOÃO DO IVAÍ

SÃO PEDRO DO IVAÍ

SÃO PEDRO DO IVAÍ

GODOY MOREIRA

GODOY MOREIRA

LUNARDELLI

LUNARDELLI